• Ana Paulaº Lappoñi

DOR NA CERVICAL: O QUE FAZER QUANDO O INCÔMODO PERSISTE?

Dor na cervical todo mundo já teve. Eu, você, seu vizinho, o Trump, a Xuxa, o Neymar, o Papa Francisco... absolutamente todos os moradores deste planeta. A dor no pescoço não está necessariamente relacionada ao estilo de vida, aos hábitos alimentares, ao peso, à altura ou a idade da pessoa. Claro que, como veremos ao longo deste post, algumas condições podem agravar o problema. Porém, o simples fato de dormir numa posição ruim já é capaz de fazer surgir a cervicalgia.


Ficar muito tempo sentado, trabalhando no computador, também pode provocar dor cervical. O mesmo acontece entre aqueles que passam muito tempo curvados, mexendo no celular. E apesar de eu ter dito que a altura não importa, já que tanto um baixinho quanto um jogador de basquete têm a mesma chance de sofrer com a cervicalgia, pessoas maiores devem redobrar o cuidado. O hábito de se curvar o tempo inteiro para falar com os outros cobra a conta depois de alguns anos.





Costumo atender muitos pacientes com dor na cervical em minha clínica de shiatsu e acupuntura em Pinheiros, o Ana Paulaº Lappoñi Espaço Terapêutico. Por isso, estou escrevendo esse post com o intuito de ajudar quem sofre com a cervicalgia. Se é o seu caso, leia até o fim. E se não é, leia também! O tempo gasto em conhecimento e cuidados com a saúde sempre é um bom investimento.


Dor na cervical: o que fazer quando o incômodo não vai embora?


Para muita gente, a dor cervical é um problema pequeno. O pescoço dói um pouco, mas logo passa, sem a necessidade de maiores preocupações. Pode ser apenas um mau jeito, que desaparece quando o corpo começa a se movimentar e os músculos aquecem.


Mas... e se o incômodo persiste? Bom, se a dor é crônica, você precisa procurar ajuda. Aliás, para ficar bem claro: dor crônica é aquela que nunca vai embora. Entra dia, sai dia... e você está sofrendo. Mas também pode ser aquela dor que é frequente, e não contínua. Hoje ela é intensa, amanhã some, depois volta.


Em casos assim, a dor na cervical pode ser o resultado de um trauma agudo que não foi tratado, de um esforço repetitivo ou, ainda, de uma predisposição a sofrer invasão de fatores climáticos como o frio, o vento ou umidade.





O que a temperatura tem a ver com isso?


Tudo! Imagine que você chegou na minha clínica de shiatsu e acupuntura em Pinheiros com um torcicolo. Durante a anamnese, eu descubro que você ficou de costas para uma janela toda a tarde de ontem, num dia em que a temperatura caiu muito. Aquele ventinho vindo de fora literalmente penetrou em suas costas e pescoço.


Nesse caso, durante o tratamento, eu vou precisar tirar o frio que penetrou. Usarei a ventosa e a moxa para expulsar o frio e aquecer a região.


De acordo com a Medicina Tradicional Chinesa, síndromes de deficiência de Qi e sangue ou desordens na função do fígado ou rim podem colaborar para o aparecimento destes incômodos. Para tratar o problema, é necessário ativar a circulação, aquecer, desinflamar, lubrificar a articulação, nutrir os tecidos e eliminar o fator climático - se houver - do organismo.





Dor na cervical: quais são os tipos?


Conforme a Organização Mundial da Saúde (OMS), a cervicalgia é a segunda queixa mais frequente da população em todo o planeta. Perde, apenas, para a dor nas costas. A entidade internacional estima que 37% dos brasileiros – cerca de 60 milhões de pessoas – sofram com o problema. É uma quantidade um pouco maior do que a média mundial, que é de 35%.


Existe a dor cervical aguda, como o torcicolo. E existem as crônicas, como síndrome cervical, síndrome dolorosa miofascial e síndrome do desfiladeiro torácico.


E como eu comecei a explicar no comecinho do post, a quantidade de fatores que faz alguém ter dor na cervical é quase ilimitada. São muitos os fatores que podem contribuir para a cervicalgia, como tensões emocionais, má postura, tabagismo e sedentarismo.



O peso do mundo em suas costas!


Você não é o Marvin, da música dos Titãs, para sentir todo o peso do mundo em suas costas (ok, referência só para quem tem mais de 35 anos 🤷‍♀️). Mas é isso que acaba acontecendo quando, por exemplo, se esquece da vida mexendo no celular!


Você acaba ficando numa posição viciosa, em que o pescoço faz uma flexão e eleva o peso carregado pela região. Numa posição neutra de zero graus, é exercida uma força de 5 quilos. Aí você vai dobrando o pescoço e chega até 60 graus. A força passa a ser de 30 quilos. Seis vezes mais. Não há pescoço que aguente!

A musculatura contraída por muito tempo acaba hiper estimulando os gânglios simpáticos cervicais. A desidratação dos discos intervertebrais reduz os espaços entre as vértebras cervicais causando ruptura (a famosa hérnia de disco) ou desidratação dos discos.





Dor na cervical: quando é hora de procurar ajuda?


Existem alguns indícios de que a dor na cervical é mais do que um incômodo passageiro e que é necessário uma visita a um especialista. Por exemplo:


- Dor na cervical ou ombros;


- Dificuldade de movimentar o pescoço para os lados, para frente e para trás;


- Diminuição de amplitude de movimento do pescoço;


- Sensação de formigamento, dormência dos membros superior que piora dormindo ou trabalhando;


- Perda de força nas mãos;


- Rigidez na nuca, diminuição de reflexo tendinoso (sabe aquele exame que o ortopedista faz batendo com um martelo em algumas articulações no nosso corpo para testar o reflexo? Esse mesmo!);


- Náuseas, tontura e zumbido.





Quais são as opções de tratamento para a dor no pescoço?


Em minha clínica de shiatsu e acupuntura em Pinheiros, faço uma avaliação física dos movimentos ativos e passivos do paciente para chegar a um diagnóstico.


Entre as terapias disponíveis para a dor na cervical, estão tui na, auriculoterapia e acupuntura com eletroestimulação. Costumo utilizar mais de uma terapia em casos de cervicalgia e o tratamento vai sendo ajustado de acordo com a fase em que se encontra o paciente. Exemplo:


- Quando chega com muita dor, utilizo a acupuntura com eletroestimulação;


- Num segundo momento, em que o incômodo já diminuiu e é necessário melhorar a mobilidade, aplico tui na e auriculoterapia.


- Por fim, quando a dor acaba e a mobilidade volta, recomendo quatro exercícios paras a cervical, que podem ser feitos em casa. Conheça os exercícios clicando aqui.





A Medicina Chinesa é um tratamento complementar com resultados excelentes!


Geralmente, o tratamento com as terapias chinesas pode complementar outra indicação do médico ortopedista. Muitas vezes, as pessoas me procuram até antes de ir a um ortopedista ou a um neurologista, pois sabem que as terapias orientais permitem a combinação de várias técnicas. Os resultados são excelentes. Em alguns casos, também indico fitoterápicos que contribuem com o tratamento.


E aí? Passou a entender mais sobre a dor na cervical agora? Consegui te ajudar de alguma forma? Espero que sim! Fico sempre feliz em compartilhar meu conhecimento e estimular cada leitor a cuidar da saúde.


Se precisar tirar dúvidas, pode me ligar ou mandar um WhatsApp para (11) 99141-1712.


Também pode clicar aqui e mandar uma mensagem.


O Ana Paulaº Lappoñi Espaço Terapêutico, minha clínica de acupuntura em Pinheiros, fica na Rua João Moura, 661, conjunto 63, pertinho do metrô Oscar Freire. Até a próxima!

16 visualizações

© 2019 por Lu Costa Design